Voltar

Sobre a importância de um nome e da atenção a ter na aprendizagem da sua escrita

Um nome não é apenas parte da identificação de alguém, como se fosse apenas designação que, associada a uma coisa, nos permite nomeá-la, na sua ausência - dizemos cadeira e vemos cadeira, na representação [imagem] que temos dela, mas o nome de alguém é mais que isso, devolve mais do que uma imagem.

O meu nome é o meu "nome". (N)o meu nome sou eu. Não é qualquer coisa que existe fora de mim - diferentemente da cadeira, respondo por ele, quando me chamam ou interpelam. Fora de mim não é nada, apenas hipótese de quem poderá ser - Viste "fulano"? Quem? Qual?

O que nos liga ao nosso nome é de tal forma poderoso que, por vezes, chego a acreditar que somos nós que vivemos nele e não ele em nós: não é por acaso que haja quem, não se reconhecendo nele, faça tudo para se encontrar noutro nome.

Por tudo isto, se mais não houvesse, aprender a escrever o nome é tão importante: é muito mais do que juntar letras numa palavra. Aliás, as crianças intuem a importância do nome, mesmo antes de aprenderem a escrever, quando tendem a identificar os seus desenhos com uma garatuja. 

Não é preciso muito para que a criança leve a escrita do seu nome muito a sério: fora da família ou grupo de amigos, vê com naturalidade que o seu nome não se dá muito bem com diminutivos, e que não é qualquer tipo de escrita que os aceita: ninguém identifica as suas produções com Chico em vez de Francisco. O nome mantém-se estável: é António mesmo quando responde por Tonito. E nada melhor que uma palavra estável, que a criança vê sempre escrita da mesma forma, e lhe diz muito, para começar a aprendizagem da escrita, sem quaisquer preocupações com princípios alfabéticos: apenas com o desenho da sua forma. Uma forma que, contrariamente à forma dos nomes que identificam coisas, uma vez registada no bilhete de identidade, não se deixa "contaminar" por mudanças de ortografia, excepto, de vez em quando, na letra inicial que se escreve minúscula, por uma questão estética.

 

Daniel Lousada